quarta-feira, 30 de julho de 2014

Universal burlou licença de templo, diz parecer



A Igreja Universal usou informações falsas para burlar a legislação municipal e, assim, construir a nova sede conhecida como o Templo de Salomão, segundo parecer técnico apresentado à Prefeitura de São Paulo.

De acordo com documentos anexados ao processo de licenciamento obtidos pela Folha, a igreja apresentou, em 2006, pedido de reforma de prédio que havia sido demolido ao menos dois anos antes. O templo será inaugurado nesta quinta-feira (31) com a presença, dentre outras autoridades, da presidente Dilma Rousseff (PT).

As irregularidades apontadas pela CTLU, uma comissão independente destinada a avaliar autorizações da prefeitura, foram ignoradas pelo município e a construção, aprovada com a ajuda de decisões do ex-diretor da prefeitura Hussain Aref Saab.

O ex-diretor, que comandava o Aprov (departamento municipal que liberava construções), é suspeito de comandar esquema de corrupção na aprovação de obras na capital, na gestão Gilberto Kassab (PSD).

As informações apontadas como falsas na comissão foram detectadas em 2006 quando a igreja pediu autorização à prefeitura para levantar o templo na região do Brás. A sede suntuosa custou R$ 680 milhões, segundo a Universal, e terá 74 mil metros quadrados de área construída (3,2 vezes maior a Basílica de Aparecida).

A igreja afirmou na época que queria reformar um grupo de imóveis e, entre eles, uma fábrica construída em uma área superior a 18 mil metros quadrados.

Como o terreno está localizado numa área especial de interesse social, chamada de Zeis, uma construção nova em áreas demolidas acima de 500 m² obrigaria a igreja a destinar 40% do terreno para moradias populares. Já em casos de reforma, não há essa exigência legal.

FOTOS AÉREAS

O arquiteto Eduardo Nobre, representante da USP na comissão técnica pediu para analisar o pedido por achar, segundo ele, “algo estranho”. O próprio arquiteto visitou a suposta reforma e descobriu que a fábrica fora demolida, diferentemente do que dizia o processo. Havia um terreno vazio, usado como estacionamento.

Em sua defesa, a Universal apresentou documentos dizendo que o prédio havia sido adquirido em 2005 “com toda edificação aprovada e existente no local”.

Disse, porém, que o imóvel foi demolido depois de 2006 quando engenheiro detectou que o prédio estava condenado. “Decidimos, então, pela demolição parcial em face dos riscos apontados pelo engenheiro”, diz trecho do documento.

Nobre recorreu, então, aos arquivos da prefeitura e encontrou fotos aéreas feitas entre 2003 e 2004 que registravam o prédio já demolido.

Além disso, o parecer de Nobre mencionou que o patrimônio cultural demonstrou, em 2004, interesse em tombar tal fábrica, mas não conseguiu preservá-la porque ela foi derrubada antes.

Apesar dos indícios de fraude apresentados pelo arquiteto, a reforma foi aprovada na comissão após parecer da principal assessora de Aref no Aprov, Lúcia de Sousa Machado.

Procurado pela Folha, o Ministério Público disse considerar o caso gravíssimo, com fortes indícios de fraude, e passível de uma ação demolitória contra o templo.

De acordo com o promotor Maurício Ribeiro Lopes, o fato de a CTLU ter aprovado a reforma não afasta a ilegalidade do ato.

14210696

Folha de S.Paulo

Pena que vivemos em um país onde tudo termina em pizza!
Se o Brasil  fosse em um país sério,essa sinagoga de satanás seria demolida.




segunda-feira, 28 de julho de 2014

Mais um calote do "apóstolo" boiadeiro.

 O apóstolo Valdemiro Santiago abraça fiéis em culto da Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Paulo (foto: Eduardo Pinto/IMPD)

Título original: Em crise, Valdemiro Santiago atrasa pagamento e deixa Rede TV!

Sufocada pela Igreja Universal e perdendo fiéis, a Igreja Mundial do Poder de Deus está deixando a Rede TV!. Após atrasar o pagamento de R$ 6 milhões mensais pelo aluguel de horários da emissora, o apóstolo Valdemiro Santiago devolveu nesta sexta-feira (25) o espaço que ocupava na parabólica da emissora. Ele continua nas manhãs de domingo, mas a tendência é perder esse horário também.

Desde o ano passado, Valdemiro Santiago está sendo “expulso” gradativamente da TV por seu rival, Edir Macedo, dono da Record e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, que tomou as 23 horas que a Igreja Mundial ocupava na Rede 21, do Grupo Bandeirantes, e na CNT. Macedo também pegou horários de Santiago na Rede TV! e na Band.

Santigo chegou a ocupar, no ano passado, 1.600 horas por mês na TV. Neste ano, chegou a ter menos de 60. Nesta semana, passou a ocupar 22 horas do canal 32 UHF, antigo MTV Brasil, vendido para o Grupo Spring.

Segundo fontes nas igrejas, como consequência da redução do espaço na TV, Valdemiro Santiago está perdendo fiéis para Edir Macedo e dinheiro para bancar os horários nas emissoras. 

Em dezembro, a Rede TV! negociou com Santiago o aluguel de metade do espaço na parabólica, presente em cerca de 20 milhões de lares no país. Para isso, a emissora comprimiu seu sinal no satélite StarOne C2, reduzindo a qualidade. Os telespectadores se queixaram da péssima imagem. 

Na Rede TV!, Santiago vinha atrasando sistematicamente os pagamentos, e a emissora, neste mês, reajustou valores e estipulou multas pesadas por atraso. O apóstolo optou por deixar o espaço na parabólica e investir na MTV.

A Igreja Universal tende a ocupar os espaços de Santiago na Rede TV! nas manhãs de domingo. Em seus programas, a igreja que tem investido em testemunhos de pessoas que saíram de Mundial, visando tomar ainda mais fiéis de Santiago.

Daniel Castro e Paulo Pacheco, no Notícias da TV

Cantor evangélico é acusado de abusar de menina de 9 anos




Um homem identificado como Geraldo Aparecido da Silva, 40 anos, foi preso após ser acusado de abusar sexualmente da neta da companheira, uma menina de nove anos, no município de Sinop, a 500 Km de Cuiabá, no estado do Mato Grosso.

De acordo com a reportagem do programa da Record de Cuiabá, a mãe da vítima registrou com uma câmera fotográfica o momento em que o homem, nu, deitado na cama, pedia para que a criança fizesse sexo oral nele.

A Polícia Civil de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá) prendeu em flagrante um homem de 40 anos acusado de abusar sexualmente da neta da mulher dele, de apenas 9 anos.

De acordo com o delegado Sérgio Ribeiro, o acusado Geraldo Aparecido da Silva, foi preso em flagrante depois que a mãe da menina registrou com uma câmera fotográfica o momento em que o homem, nu, deitado na cama, pedia para que a criança fizesse sexo oral nele.

 Geraldo foi autuado por estupro de vulnerável e encaminhado para o Presídio Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, conhecido na região como “O Ferrugem”, na cidade de Sinop.

Vídeo da reportagem AQUI

Blog: O Povo com a Notícia

sábado, 26 de julho de 2014

Edir Macedo,servo de mamon, afirma que Deus fica na obrigação de abençoar os fiéis da sua seita.




Foto



Esse falso profeta, só esqueceu de falar qual é o deus que ele serve!

Esse Judeu do Paraguai,com a construção dessa sinagoga de satanás,rasgou o Novo Testamento da sua bíblia,jogou no lixo o sacrifício de Jesus Cristo na cruz!




Prefeito que também é pastor da AD é acusado por pedofilia, estelionato e corrupção em Campo Grande

A acusação foi lançada pelo Procurador-Geral de Justiça de Mato Grosso do Sul, Humberto de Matos Brittes, e o promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira


O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte - Foto: Divulgação —

Prefeito da capital e seu “braço direito” teriam arquitetado esquema que supostamente arrecadou recursos para comprar votos favoráveis à cassação de Alcides Bernal, na Câmara de Vereadores, ao custo superior a R$ 20 milhões; interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça sul-matogrossense e depoimentos de testemunhas também dão conta sobre a possível existência de gravações em vídeo nas quais Gilmar Olarte teria sido flagrado em práticas sexuais com menores de idade.

“Conforme evidenciado no período de investigações, Ronam Edson Feitosa de Lima, ocupante de cargo comissionado na Prefeitura Municipal de Campo Grande e pastor evangélico da igreja denominada Assembleia de Deus Nova Aliança, estaria, em razão de sua função pública, solicitando valores a empresários em troca de supostos benefícios a serem concedidos pela Administração Pública Municipal, a exemplo da concessão de uso de terrenos, vantagens em processos licitatórios e nomeações em cargos comissionados; tal conduta criminosa seria avalizada por Gilmar Antunes Olarte, então vice-prefeito de Campo Grande e também pastor evangélico da Assembleia de Deus Nova Aliança”.

A acusação foi lançada pelo Procurador-Geral de Justiça de Mato Grosso do Sul, Humberto de Matos Brittes, e o promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira, integrante do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), responsável pela investigação do que seria um dos maiores golpes da história política recente no Estado – a suposta arrecadação de recursos junto ao empresariado campograndense para pagar na Câmara Municipal votos favoráveis à cassação do ex-prefeito Alcides Bernal.

“Noutro versar, tem-se que os fatos trazidos à baila no Procedimento Investigatório Criminal nº 02/2014-Gaeco dão conta de que parte dos recursos angariados pelos investigados Ronam Edson e Gilmar Olarte seriam destinados ao financiamento de vereadores, para fins de captação de votos na comissão processante que julgaria o então prefeito Alcides Bernal e que, efetivamente, gerou sua cassação”, prossegue o Ministério Público Estadual (MPE) noutro trecho do requerimento na qual foi postulada a prisão temporária do homem considerado “braço direito” de Gilmar Olarte.

A reportagem do jornal Centro-Oeste Popular e do Brasil Notícia – portal do grupo na internet, sediado na Capital Federal – teve acesso, com exclusividade, aos autos do Procedimento Investigatório Criminal nº 02/2014/Gaeco. A peça inquisitória se encontra sob sigilo em razão de haver nela interceptação de comunicações telefônicas.

“No caso em exame tem-se claro que existe uma associação criminosa, voltada à prática de delitos graves, cuja característica do modus operandi e dos delitos cometidos pelos agentes tem por base a utilização de comunicação telefônica, para o comando de suas ações”, asseverou o promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira, do Gaeco, ao postular autorização para os “grampos”, prontamente deferida pelo juiz de Direito Aluizio Pereira dos Santos.

As revelações da investigação promovida pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPE/MS) comprometem, além de Gilmar Olarte e Ronam Feitosa de Lima, diversos agiotas que operam no mercado sul-matogrossense, além de políticos e, principalmente, um grupo empresarial chefiado por grande empreiteiro que há várias administrações fatura alto nos cofres públicos da “Cidade Morena”.

“O esquema contaria, ainda, com a participação de outros indivíduos que atuariam tanto nas articulações para o desenvolvimento do golpe, bem como agiriam como ‘laranjas’ figurando como proprietários de bens que na verdade seriam de propriedade de Ronam Edsom e Gilmar Olarte”, destaca trecho de relatório produzido .

“Verificou-se, também, que alguns dos cheques recebidos de terceiros, principalmente pela pessoa de Ronan (que mantém relações diretas com Gilmar), de alguma forma foram parar em mãos de agiotas (...) sob a promessa de recebimento de vantagens em uma futura administração municipal, tais como posse de terrenos e favorecimento na contratação para execução de obras públicas”, prossegue o MPE, que aponta suposto “conluio encabeçado por Gilmar Antunes Olarte, na época vice-prefeito, e perpetrado por Ronam Edsom Feitosa de Lima, na época funcionário da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio (Sedesc), que estariam agindo com intuito de angariar fundos para financiamento de vereadores e captação de sufrágio, buscando influenciar no resultado da votação da comissão processante que apurou supostas irregularidades praticadas na administração do então prefeito Alcides Bernal, pois a cassação deste acarretaria a ascensão de Gilmar Olarte ao cargo de prefeito; para esse feito, Ronam Edson estaria arrecadando doações de empresários, com promessa futura de favorecimento na administração municipal quando Gilmar Olarte ascendesse ao cargo de prefeito e nessa ocasião utilizaria a estrutura da prefeitura para beneficiar os doadores”, prossegue o relatório do MPE.

R$ 1 MILHÃO POR VOTO

Duas assessoras muito próximas a Gilmar Olarte foram “grampeadas” durante as investigações – Anny Cristina Silva Nascimento Sales e Marly Deborah Pereira de Campos. Ambas trabalharam com o deputado estadual Rinaldo Modesto de Oliveira – vulgo professor Rinaldo – e com a irmã deste, a vereadora campo-grandense Rose Modesto, candidata a vice-governadora de Mato Grosso do Sul na chapa do deputado federal Reinaldo Azambuja.

Em determinada conversa, Deborah Campos revela à amiga: “cada vereador que votou a favor da cassação de Alcides Bernal teria recebido um milhão de reais”. Noutra conversa entre as duas, Anny Cristina “afirma que a vereadora Rose Modesto poderá ser nomeada como secretária de Educação, e revela também que Ronam se reunirá com a referida vereadora para discutirem uma situação onde ela poderá receber sete milhões de reais”.

Depois da cassação de Alcides Bernal – que teve voto favorável de Rose Modesto -, a própria vereadora foi flagrada em conversa telefônica com o prefeito Gilmar Olarte na qual a pauta foi “a discussão de nomes que serão indicados para ocupar cargos públicos”. Detalhe: a linha telefônica usada por ela está em nome do irmão deputado.

Fonte fidedigna revelou à reportagem que os “acertos” não teriam sido apenas financeiros, mas também – e principalmente – barganhados com base na divisão de poder na estrutura administrativa campo-grandense.

PREJUÍZOS

Conforme as investigações conduzidas pelo Gaeco, o esquema supostamente arquitetado por Gilmar Olarte e Ronam Feitosa para arrecadação de fundos destinados a financiar o “golpe” contra o então prefeito Alcides Bernal causou prejuízo a muita gente, desde pessoas humildes até grandes empresários e agiotas. Em Campo Grande, fala-se que o suposto calote beira a cifra de R$ 1 milhão.

Entre os agiotas que teriam trocado cheques para a dupla está Ito de Melo Andrade, dono da Tecmaster Cobranças, empresa que opera também no ramo de fomento mercantil. Ele contou ao Gaeco que seu prejuízo foi de aproximados R$ 100 mil. Disse também que Ronam Feitosa por diversas vezes comprometeu-se a negociar o pagamento, mas nunca honrou as promessas. Em determinada visita ao escritório do agiota, esteve acompanhado pelo próprio prefeito Gilmar Olarte.

Outro que injetou dinheiro no esquema foi um certo Salem Pereira Vieira – ele admitiu em depoimento ao Gaeco que “troca cheques a juros, o que faz na informalidade”. Contou ter trocado R$ 236 mil em cheques para Ronam Feitosa – os valores eram repassados na agência da Caixa Econômica Federal (CEF) localizada à avenida Afonso Pena, na capital sul-matogrossense. “Em três dessas ocasiões em que se dirigiu até a agência da CEF, o declarante presenciou Ronam na companhia de Gilmar Olarte e nessas oportunidades viu Ronam repassar os valores diretamente para as mãos de Gilmar Olarte”.

Salem Vieira também reclama ter sido lesado – seu prejuízo seria de aproximadamente R$ 36 mil, resultado de inúmeros cheques devolvidos por insuficiência de fundos. Ele revelou que haveria cheques de grandes empresários em somas elevadas, mas também muitos de pequeno valor, cujos titulares seriam na maioria trabalhadores humildes – afirmação depois confirmada pelo MPE que localizou muitas pessoas enganadas por Ronam Feitosa, várias delas são fiéis da igreja Assembléia de Deus Nova Aliança, da qual Ronam e Olarte são pastores.

É o caso do empresário Edmundo de Freitas Carrelo, que conheceu Ronam Feitosa quando frequentava a tal igreja, da qual Gilmar Olarte era dirigente à época. Carrelo relatou ao Gaeco que, iludido pela promessa de bons negócios com a prefeitura campograndense, trocou diversos cheques de elevadas quantias e hoje amarga prejuízo de aproximadamente R$ 240 mil. Caso semelhante foi o do empresário Mauro Sérgio Freitas que não conheceu Ronam e Olarte na igreja, mas também foi logrado com a esperança de vantajosos contratos com a administração municipal e hoje reclama dívida de quase R$ 50 mil.

PEDOFILIA E ‘CHUPISCO’

O agiota Ito de Andrade Melo, na esperança de reaver o prejuízo, contratou os serviços do cobrador autônomo Mauro Alessandro Souza Freitas, coincidentemente pastor evangélico. Ao curso da cobrança, Mauro Alessandro apresentou a Ronam Feitosa outro agiota, Salem Pereira Vieira que, conforme antes mencionado, também trocou vultosas somas em cheques para fomentar o suposto esquema – e também acabou no prejuízo.

Em razão disso, Salem e Mauro somaram esforços a fim de receber as dívidas – mas os métodos de cobrança do primeiro seriam pouco ortodoxos, conforme revelou o segundo em depoimento ao Gaeco. Salem teria a intenção de chantagear o prefeito com supostas filmagens nas quais Gilmar Olarte apareceria a praticar conduta sexual nada evangélica.

“Em contato com Salem, este teria dito para o declarante que havia feito diversos vídeos da pessoa de Ronam, falando que os empréstimos contraídos eram revertidos em favor de Gilmar Olarte (...); que Salem disse ainda que possuía um vídeo gravado, onde Gilmar Olarte apareceria mantendo relações sexuais com meninas menores de idade (...); que o vídeo foi feito em uma festa, em uma chácara”, declarou Mauro Alessandro.

Noutro trecho de seu depoimento, ele lembrou que manteve conversa telefônica com a colunista social Sônia Regina Arraes Capistrano – a “Bya Arraes” – que teria afirmado ter “conhecimento da existência do tal vídeo feito por Salem” e confidenciado “ter visto outro vídeo, gravado por uma mulher, onde Gilmar Olarte apareceria mantendo relações sexuais com um menino excepcional”. O tal vídeo seria denominado “chupisco”.

Mauro Alessandro contou também que teria questionado Salem sobre a existência do vídeo, a qual teria sido confirmada. Além disso, conforme o depoimento ao Gaeco, “(...) Salem mostrou para o declarante um vídeo gravado com Ronam, no qual tal pessoa aparece falando sobre um golpe político”. “Também foi informado por Salem sobre a gravação de um áudio onde Ronam apareceria falando do envolvimento sexual de Gilmar Olarte com menores”. Ele disse ainda que, em determinada ocasião presenciou Salem falando ao telefone com Gilmar Olarte sobre o dinheiro que tinha a receber – com o aparelho no modo “viva-voz”, o agiota teria chamado várias vezes o prefeito de “pedófilo”.

Na noite anterior ao depoimento na sede do Gaeco, Mauro Alessandro afirma que recebeu ameaçador telefonema de um tal Fábio Rogério – “que tal pessoa disse para o declarante que se depusesse contra Gilmar Olarte iria sofrer represálias e sua família iria ser castigada”. E, no dia marcado para o depoimento, recebeu a visita de Salem Pereira Vieira “que aparentava estar nervoso e disse para o declarante não fazer qualquer menção à existência do vídeo”.

Mencionada por Mauro Alessandro, a jornalista Bya Arraes é bem relacionada nos meios políticos e empresariais de Mato Grosso do Sul. Contou ao Gaeco ter sido procurada pelo cobrador, que pediu a ela para intermediar contato com o prefeito Gilmar Olarte, a fim de tratar da dívida.

Bya Arraes confirmou a existência de vídeos nos quais Ronam Feitosa fala sobre o “plano político para cassar o ex-prefeito Alcides Bernal”. Tal gravação teria sido mostrada por Mauro Alessandro e Salem Vieira, em visita no apartamento da jornalista.

Ela também falou sobre os “vídeos proibidos” que comprometeriam o prefeito de Campo Grande. “Em determinado momento, Mauro disse para a declarante que iria abrir um vídeo contendo cenas de sexo envolvendo Gilmar Olarte (...) nesse instante, como os filhos da declarante estavam presentes, foi solicitado a Mauro que não exibisse os vídeos”, declarou ao Gaeco a colunista social.

Outra forte evidência de que os vídeos de fato existiriam foi registrada pelo Gaeco ao curso das interceptações telefônicas. No último dia 20 de março, em determinada conversa de Salem Vieira com uma pessoa que os promotores acreditam ser o vereador Derly dos Reis de Oliveira, vulgo “Cazuza” – aliado de Gilmar Olarte -, foi combinado um encontro para a suposta negociação do explosivo material. O encontro de fato aconteceu, no Hipermercado Comper Jardim dos Estados, e foi registrado pelas câmeras arapongas do Gaeco.

Desde que os “rolos estouraram”, Ronam Feitosa anda sumido – a ordem de prisão contra ele foi cumprida na capital paulista. Depois de ouvido pelo Gaeco, foi liberado e pouco tem sido visto – determinada organização campo-grandense denominada ‘Associação de Orientação e Defesa da Cidadania Feminina’ chegou a editar um panfleto no qual questiona-se em letras garrafais: “Por onde anda Ronan?".

Diário do Estado

Fundação CitizenGo lança campanha para que a ONU freie o genocídio dos cristãos no Iraque



ROMA, 25 Jul. 14 / 09:23 am (ACI/EWTN Noticias).- Uma campanha de recolhimento de assinaturas foi lançada através da fundação CitizenGo.org para que a comunidade internacional e a ONU intervenham e freiem “este verdadeiro genocídio contra os cristãos do Iraque”, cujo episódio recente foi a expulsão dos cristãos de Mosul por parte dos jihadistas do Estado Islâmico.

“Salvem os cristãos iraquianos”, é o nome da campanha que denuncia as ameaças que os fundamentalistas islâmicos lançaram aos cristãos iraquianos. “Pela primeira vez desde o século XV não há mais população cristã em Mosul. A lei do islamismo radical se impôs e deu a eles a escolha entre a conversão ao Islã, o pagamento de taxas abusivas, o exílio ou a morte”, assinalaram.

Os organizadores recordaram que “em 2003, antes da invasão norte-americana ao Iraque, havia mais de um milhão de cristãos no país - incluindo seiscentos mil em Bagdá e aproximadamente sessenta mil em Mosul”.

Entretanto, onze anos depois da violência e do avanço dos jihadistas do Estado Islâmico, que proclamaram um califado nos territórios ocupados e o imposto ‘sharia’, a diocese de Mosul desapareceu.

“Não temos palavras, porque o que aconteceu é realmente chocante. Os cristãos vivem em Mosul há séculos e essas famílias foram arrancadas de sua cidade, de suas casas, de suas vidas, de repente. Estamos muito preocupados com o futuro dos cristãos neste país”, expressou recentemente o Bispo auxiliar Caldeu de Bagdá, Dom Saad Syroub.

O Papa Francisco também chamou recentemente à paz e à oração pela situação dos “nossos irmãos perseguidos” no Iraque. “Foram mandados embora, devem deixar suas casas sem a possibilidade de levar nada”.

Muitos cristãos tiveram que fugir para Erbil, a capital do Curdistão iraquiano, cujo governador Nawzad Hadi lhes prometeu proteção, mas já são dois milhões os refugiados internacionais segundo a ONU.

Por isso, os organizadores chamam os fiéis a reclamar “à comunidade internacional para agir em defesa dos cristãos no Iraque. A sobrevivência deles depende disso! Sua mensagem chegará ao secretário geral da Liga Árabe e seus responsáveis pelos Direitos Humanos, Paz, Segurança e Política externa. Também chegará ao secretário geral da ONU e seu serviço de imprensa”.

Para unir-se à campanha e assinar a petição, ingresse em: 

http://www.citizengo.org/pt-pt/9825-salvem-os-cristaos-iraquianos

Acidigital

Nota:Peço a todos que divulguem essa campanha.

Que Deus os abençoe!

A Igreja em Aleppo ajuda um povo que ficou sem meios para viver

O arcebispo greco-melquita de Aleppo descreve a cidade como a "nova Berlim", dividida entre o controle do governo e dos jihadistas

"Fico aqui porque o meu povo está sofrendo. A eletricidade não funciona, a água é de péssima qualidade. Cavamos poços dentro das igrejas e distribuímos a água para os civis”. "É a garantia que o arcebispo católico greco-melquita de Aleppo, Jean-Clément Jeanbart, passa para a sua comunidade.

Em uma entrevista à Aide à l'Eglise em Distress, o arcebispo disse que "as pessoas já não têm os meios para viver na cidade. No campo se encontra a forma, mas não na cidade. Aleppo perdeu 1400 empresas, é um grande sofrimento”. "A Igreja tenta oferecer ajuda nessa situação desesperada, “oferece comida a quem não tem e ajuda econômica aos desempregados. Não é suficiente, mas com a ajuda de Deus esperamos seguir em frente enquanto não encontram trabalho”.

Mons. Jeanbart descreve Aleppo evocando uma imagem histórica, aquela da "nova Berlim", dividida em duas partes: a parte oriental nas mãos de terroristas Jabhat al Nusra, afiliados ao Al Qaeda, e a parte ocidental controlada pelo governo. O impacto desta tragédia, com o êxodo de cristãos do país provou severamente o arcebispo greco-melquita, que admite que no início ficou "deprimido".

"Mas, depois o Senhor – diz – me ajudou a ver as coisas de um outro ponto de vista, retomei a coragem e esperança para lutar contra a fuga dos cristãos. Compreendi que o que estava acontecendo não depende de nós. Se ficarem só os pobres, nós os ajudaremos a crescer e a ser o povo que nós precisamos como testemunhas”.

Atualmente está a guerra e as perseguições aos cristãos, mas o arcebispo, no entanto, olha para o futuro com uma certa dose de esperança e coragem. "Quando o país se recuperar - explica -, os cristãos não encontrarão mais trabalho. É por isso que decidi começar um programa de formação para o trabalho de pedreiro”. A construção será uma prioridade depois do rescaldo do conflito. “Quando a guerra acabar, começará imediatamente a reconstrução das casas - conclui mons. Jeanbart -. Os cristãos deverão ser capazes de encontrar trabalho neste campo. Sem trabalho, os jovens vão embora". (Trad.T.S.)

Zenit

Gaza, milhares de refugiados ajudados pela Caritas em escolas e igrejas

Cerca de 1.300 pessoas estão encontrando abrigo na Igreja Católica e na Igreja Ortodoxa na cidade de Gaza

Um elemento que faz piorar a situação dos cidadãos de Gaza sob as bombas israelenses é a alta densidade populacional. Há, na Faixa de Gaza, cerca de 4.500 pessoas por quilômetro quadrado, cifra que torna difícil oferecer ajuda e abrigo a todos os civis que têm necessidade.

Dificuldade que a Caritas Jerusalém está tentando superar através de uma intensa mobilização em favor dos desabrigados. Há cerca de 130 000, dos quais 70 mil se concentraram nas escolas da ONU, aqueles que tiveram que deixar suas casas devido à operação militar israelense "Margem de Proteção”. Mais de 700 o número de mortes e pelo menos 4.000 feridos, razão pela qual os centros de saúde da Faixa de Gaza serem incapazes de lidar com a emergência.

"Os nossos 18 profissionais estão trabalhando incansavelmente nessa terrível situação, com os nossos centros médicos móveis que operam nas escolas e na distribuição de kits de sobrevivência para as famílias amontoadas nas escolas, em colaboração com a ONU", diz à agência Fides o padre Raed Abusahliah, diretor da Caritas Jerusalém. "Desde ontem - acrescenta o sacerdote palestino residente em Ramallah – tomamos por uma semana a responsabilidade dos refugiados na Igreja Ortodoxa e na escola católica". São quase 1300 pessoas, maioritariamente muçulmanos, na igreja greco-ortodoxa de São Porfiro e outras 700 pessoas na Igreja católica da Sagrada Família.

"Distribuímos alimentos e refeições quentes, leite e necessidades básicas para as crianças, combustível para os geradores elétricos", diz o padre Abusahliah. "Enquanto isso, com a Caritas Internationalis, lançamos um apelo para projetos e iniciativas a longo prazo imediatamente após o cessar-fogo - continuou -. Precisaremos de fundos de um milhão e 130 mil euros. Mas já vejo chegar adesões de todo o mundo, e também na Terra Santa, especialmente os jovens dão ofertas à Caritas para os nossos irmãos em Gaza. É um fluxo ininterrupto. "

A campanha de solidariedade em favor de Gaza será marcada por uma grande iniciativa no próximo sábado e domingo, em todas as paróquias da Jordânia, Palestina e Israel, onde se rezará pela paz e haverá uma coleta beneficente em favor da população de Gaza. "Nesse sentido - diz o pe. Raed - faço um apelo humilde ao papa Francisco: convoque uma vigília de jejum e oração pela paz na Terra Santa, como fez pela Síria. Todos os povos que habitam nesta terra, a terra de Jesus, estão cansados de viver no medo e na dor”. (Trad.T.S.)

Zenit

Pastor condenado por estupro é preso em Passo Fundo

Pastor condenado por estupro é preso em Passo Fundo

Condenação saiu quase dez anos após a denúncia

Na tarde desta sexta-feira (25), agentes da 2ª Delegacia da Polícia Civil capitaneados pelo delegado Claudio Edgar Trindade Belcamino e pelo Chefe de Investigações Inspetor Castaldi efetuaram a prisão do pastor Antônio Sérgio Silva, de 50 anos, na Rua A do Núcleo dos Ferroviários.

O pastor tem uma condenação de 10 anos pelo crime de estupro, dada pela Juíza Titular da 3ª Vara de Execuções Criminais da Comarca de Passo Fundo, Drª Ana Cristina Frighetto Crossi.

O crime ocorreu no dia 1° de janeiro de 2005. Na época a vítima, uma adolescente de 11 anos de idade, relatou que trabalhava de babá na casa do pastor, que tinha a igreja na Vila Donária.

Ela afirmou que foi abusada por vários meses, sendo ameaçada de morte pelo acusado caso contasse para alguém. A mãe da menina começou a desconfiar quando o pastor passou a circular nas imediações da casa da menina perguntando incansavelmente por ela.

Na época a jovem fez o exame de conjunção carnal, aonde foi comprovado o abuso. Após o registro da ocorrência iniciaram as investigações e hoje, quase dez anos depois, saiu a condenação do homem.

Segundo informações da Polícia Civil a igreja do pastor Antônio ficava localizada no bairro Donária e também possui igrejas no Bairro José Alexandre Záchia e São Luiz Gonzaga.

Rádio Uirapuru

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Pastor goiano é preso com S-10 roubada na BR-060


Pastor goiano é preso com S-10 roubado no dia 6 em Goiânia

Pastor de 31 anos é preso com caminhonete roubada em Goiânia nesta terça-feira (22), na BR-060 em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande.

A Polícia Rodoviária Federal durante abordagem em uma S-10, placas de Goiânia (GO), constatou que a caminhonete tinha uma ocorrência de roubo no dia 6 na capital goiana.

O motorista, que se apresentou pastor, sua mulher de 37 anos e um carpinteiro de 40 anos, ambos passageiros, foram presos. O condutor contou aos policiais que estava levando o carro até Nioaque (MS) para distribuir cestas básicas.

A PRF encontrou no interior da caminhonete apenas três sacos de batatas e óleo de cozinha. Ao ser questionado, o pastor confessou que estava levando a S-10 até Bela Vista (MS). Eles foram presos e encaminhados para a Delegacia de Polícia.

Midiamax

Padre Rodrigo Maria detona o PT, a CNBB e os católicos que votam em Socialistas/Comunistas

Trecho do hangout do Padre Rodrigo Maria com a Denise Abreu que aconteceu Domingo, dia 13/07 em que ele detona o PT, a CNBB e os católicos que votam em partidos Socialistas/Comunistas.



Assista abaixo a entrevista na íntegra







terça-feira, 22 de julho de 2014

IURD é condenada a pagar mais de meio milhão em danos morais




A Justiça do Trabalho condenou a Igreja Universal do Reino de Deus ao pagamento de danos morais no valor de R$ 555 mil, além de anotações na carteira de trabalho e pagamento de verbas trabalhistas ao vigilante João Pereira de Aguiar, que trabalhou por mais de 8 anos sem os devidos registros.

A decisão é da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho, publicada na terça-feira dia 15 de julho.

Depois de trabalhar por cerca de 8 anos para a reclamada, sem que houvesse o registro em carteira, nem pagas as férias e 13ª Salários de alguns anos, o vigilante recorreu à Justiça para ver seus direitos reconhecidos.

Além dos danos morais, a Igreja Universal do Reino de Deus ainda foi condenada a pagar férias integrais do período aquisitivo de 2008/2009, de 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 com o terço constitucional, em dobro; férias proporcionais de 2013 ( 9/12) e terço constitucional; 13º salários de 2009, 2010, 2011, 2012; 13º proporcional de 2013; Aviso Prévio indenizado; FGTS + multa de 40%; descanso semanal remunerado do período não prescrito; multas dos artigos 467 e 477 da CLT e adicional noturno por todo o contrato de trabalho, com os reflexos em aviso prévio, férias e terço legal, 13º, DSR, FGTS e multa de 40%.

A sentença declara que referente ao pacto laboral, o início da prestação de serviços e que deverá ser anotada foi em 01.08.2005 e demissão em 30.09.2013, por não ter a reclamada impugnado esta data e ter o preposto confessado em depoimento pessoal não saber a data da prestação dos serviços. Em relação à função exercida pelo trabalho, é de vigilante.

O juiz do trabalho substituto Carlos Antônio Chagas Junior, que responde pela titularidade da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho, condenou a reclamada, ainda, ao pagamento de custas processuais no importe de R$12.551,81, calculadas sobre o valor provisório arbitrado em R$ 627.590,82.

Danos Morais

Em audiência o reclamante alegou que a Reclamada sempre explorou a mão de obra de policiais militares e outros agentes públicos para se esquivar de pagar encargos previdenciários e tributários. O autor da reclamação, na necessidade de aumentar a renda para garantir o bem estar de sua família acabou tendo que submeter a exploração da reclamada, não recebendo nada além das diárias pelos plantões, sem receber durante todo o contrato de trabalho suas férias, 13º salário e sequer ter os intervalos para descanso e folgas respeitadas. Alega ainda que teria trabalhado sempre sofrendo a subordinação rígida e controladora da reclamada, que lhe impunha penalidades caso não cumprisse com os plantões na hora desejada. No entanto, na hora da rescisão do contrato de trabalho, não recebeu nenhum valor além dos plantões que realizou no ultimo mês, deixando o Reclamante totalmente desamparado. Afirma que por tais motivos, requer a condenação da reclamada em danos morais, conclui a sentença.

Fraude Trabalhista

Embora o representante da igreja - reclamada tenha contestado o pedido afirmando que o mero descumprimento dos direitos trabalhistas não são passíveis de gerar dano moral, bem como não teria cometido qualquer conduta ilícita vez que o reclamante não era empregado, o magistrado considerou em sua decisão que “o mero descumprimento de obrigação trabalhista não é passível de gerar dano moral, contudo fato diverso ocorre no presente caso. Acima foi reconhecida a fraude na contratação trabalhista e restou caracterizado o vínculo empregatício”.

A relação contratual deu-se por 8 anos, sem que o trabalhador tivesse direito a qualquer proteção trabalhista, configurando a conduta da reclamada em verdadeira afronta à dignidade do trabalhador, que não pode gozar de descansos, remunerados, férias e outras questões trabalhistas equiparando a situação do obreiro à análoga a de escravo, ainda que sem a limitação do direito de ir e vir, que configuraria o ilícito penal. Assim praticou a reclamada ato ilícito ao não reconhecer o vínculo empregatício.”

A reclamada deverá cumprir espontaneamente a decisão no prazo de 10 dias, do trânsito em julgado da ação, independentemente de intimação, sob pena de multa de 10% sobre o valor da condenação, registra o juiz.

Para efeito de comprovação das contribuições previdenciárias decorrentes decisão e exibição da respectiva GFIP a reclamada tem o prazo de 30 dias do trânsito em julgado, sob pena de multa diária de R$100,00, até o efetivo cumprimento da obrigação, a ser revertida em favor de entidade beneficente. A decisão da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho é passível de recurso.

Processo nº 0010070-70.2014.5.14.0002


Fonte: Rondonoticias

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O DECRETO GOLPISTA DE DILMA

ENTENDA MELHOR O DECRETO Nº 8243, FIRMADO RECENTEMENTE PELA PRESIDENTE DILMA E QUAIS SÃO SEUS PERIGOS PARA O BRASIL!




sexta-feira, 18 de julho de 2014

Bombardeios na Faixa de Gaza: Pároco argentino decide ficar com os seus fiéis



“Os crimes estão aumentando. As crianças pequenas começam a adoecer pelo medo, o estresse, as ondas de choque, o barulho contínuo. Os pais fazem todo o possível para distrai-los para que esta violência não os aflija”, relata o sacerdote argentino Pe. Jorge Hernández, pároco da Sagrada Família, na Faixa de Gaza, que assinalou que permanecerá junto com os seus fiéis apesar de três mísseis terem caído ontem perto de sua paróquia.

Faz uns dias, as Irmãs da Madre Teresa com 28 crianças deficientes e nove idosas sob seu cuidado se refugiaram na paróquia porque a consideravam um lugar mais seguro. Todas elas permanecerão em Gaza, junto com o padre Hernández.

A trégua de cinco horas, proclamada para permitir a entrada de ajuda humanitária à Faixa de Gaza deveria permitir a evacuação da zona de umas poucas centenas de pessoas.

As que receberam a indicação de deixar suas casas na Faixa de Gaza são as três argentinas, religiosas do Instituto do Verbo Encarnado que também trabalhavam na paróquia católica.

O Patriarcado Latino de Jerusalém iniciou na paróquia uma adoração eucarística permanente e hoje será celebrada uma Missa “para implorar o perdão, a justiça e a paz para todos”.

O sacerdote argentino, pertencente ao Instituto do Verbo Encarnado (IVE) enviou seu testemunho que foi publicado pelo site do IVE sobre estes dramáticos dias em Gaza:

“Hoje, domingo, pudemos celebrar a Santa Missa, graças a Deus, com a presença, além de sete religiosas, de cinco homens corajosos. Foi algo muito edificante devido às circunstâncias.

Acho que ontem foi, até agora, o pior dia desta guerra. Os foguetes não param de sair daqui. Já são várias as cidades afetadas perto de Tel Aviv e Jerusalém.

E, é claro, a resposta não se faz esperar. A continuidade e intensidade dos bombardeios aéreos, terrestres e marítimos é algo difícil de acreditar.

Israel já disparou contra mais de 1300 alvos no território palestino. O número de mortos incluindo mulheres e crianças já passa de 150 e estima-se que 1000 pessoas entre civis e militares estão entre os feridos”.

acidigital

Já faz 5 anos que Asia Bibi está sofrendo em uma prisão no Paquistão



O presidente da organização defensora da liberdade religiosa, HazteOír, visitou recentemente a família de Asia Bibi no Paquistão para saber sobre os últimos avanços no caso desta católica que está presa há 5 anos por um crime que não cometeu contra a ‘lei anti-blasfêmia’ vigente no país.

“Estivemos alguns dias reunidos com o marido de Asia Bibi e com suas duas filhas pequenas. Contaram-nos que a visitam uma vez ao mês porque a prisão está a oito horas de ônibus de Lahore (Paquistão) que é onde vive a sua família”, precisa Arsuaga em uma entrevista concedida ao Grupo ACI.

“Contaram-nos que está bem de saúde e que mantém a esperança de sair algum dia e reunir-se com sua família. Continua firme em sua fé em Jesus Cristo e suportando o calvário que é viver separada de sua família”, assegura o porta-voz do HO, organização que vem reivindicando a libertação do Bibi desde o primeiro momento de sua prisão.

Atualmente HO está colaborando com a família de Asia Bibi na compra de roupa e comida que levam à prisão. “Ela faz a sua própria comida para não correr o risco de ser envenenada. Também ajudamos a pagar os advogados. A maioria deles são muçulmanos embora também haja algum cristão, mas todos coincidem em que Asia Bibi é inocente e que jamais blasfemou contra o profeta Maomé”.

Conforme explica Arsuaga, os advogados defensores de Asia Bibi afirmam que as testemunhas que asseguram ter ouvido a blasfêmia se contradizem. “Se não realizam o julgamento é porque os juízes têm medo e apresentam qualquer desculpa. Na última vez o juiz alegou que havia quebrado um encanamento na sua casa e por isso não pôde comparecer à audiência de Asia Bibi. Se está atrasando tanto é porque os juízes têm medo de dar uma sentença que revogue a condenação porque isso suporia colocar a sua própria vida em perigo porque os radicais muçulmanos não aceitariam tal sentença”, afirma.

Entretanto Arsuaga afirma que não perde a esperança de que libertem a Asia Bibi: “Os advogados asseguram que é um caso que deveria ser ganho, pediram-nos que continuássemos enviando mensagens ao governo do Paquistão para que a libertem, que o governo continuasse recebendo pressões de todas as partes do mundo para que não executassem a condenação. Especialmente através da Comissão de Direitos Humanos da ONU através do Ministério de Assuntos Exteriores”.

Sua família pediu que continuem rezando por ela para que possa sair o mais rápido possível.

Dos dias que a delegação do HO passou no Paquistão, Ignacio Arsuaga destaca o impacto que lhe causou ver como os cristãos de lá vivem. “Visitamos vários bairros, que eles chamam ‘ghettos’, mas que não tem a conotação negativa que na Espanha se entende com essa palavra. As casas são extremamente pobres, porque os bairros ricos em Lahore são onde vivem os muçulmanos. Lá os cristãos são a última casta e dentre eles, os últimos são os católicos. Porque as classes sociais são regidas pela religião”, explica o presidente do HO.

Nesse sentido Arsuaga recordou o grande testemunho que os cristãos estão dando em países como o Paquistão onde são minoria. “St. Joseph Colony que é um bairro muito pequeno que foi queimado há pouco mais de um ano por um grupo de muçulmanos, agora está reconstruído e nas portas das casas os cristãos puseram uma cruz para que se identifique sem problemas suas casas como cristãs. Dão um testemunho de fé impressionante e se vê que têm uma fé muito mais forte que a que vivemos no Ocidente”.

Em junho de 2009, Asia Bibi trabalhava como operária em Sheikhupura, perto de Lahore, Paquistão. Em uma ocasião lhe pediram que fosse buscar água potável para as suas companheiras. Algumas das trabalhadoras –todas muçulmanas– se negaram a beber a água por considerá-la "impura" por que foi provida por uma cristã.

Um dia mais tarde, Asia foi atacada por uma turfa e levada a uma delegacia de polícia “para a sua segurança”, onde foi acusada de blasfêmia contra Maomé. Desde a sua prisão denunciou ser perseguida por causa de sua fé e negou ter proferido insulto algum contra o Islã.

Depois disso, pelo menos duas pessoas foram assassinadas por defender a inocência de Asia Bibi no Paquistão, primeiro o governador de Punjab, Salman Taseer, às mãos de seu próprio guarda de segurança e Shahbaz Bhatti. Bhatti foi homenageado com um dos prêmios Hazteoir.org em 2012, a título póstumo. Asia Bibi foi homenageada na edição de 2012.

Em um vídeo gravado no bairro de São José de Lahore, o presidente da associação HazteOir.org, Ignacio Arsuaga, que promove a organização cidadã MásLibres.org, pediu que o direito dos crentes de qualquer confissão de manifestar e praticar sua fé seja respeitado neste país.

acidigital

Monitoramento

Locations of visitors to this page

Radio Macabeus.

II Vídeo